MAMUTEFOTO

Blog

O que faz uma boa fotografia? (parte 2)

  Aqui estou eu mais uma vez, pra falar sobre o que faz uma boa fotografia. Estou aqui porque estive pensando, e acho que limitei muito minha definição sobre esse assunto na primeira postagem. Então aqui vai o que alguns chamam de errata, e eu estou chamando de "parte 2" porque esse texto não exclui o anterior, mas traz um pensamento mais amplo sobre boas fotografias.

  Vou começar contando o como percebi esse "erro": Tenho um tio que é um fotógrafo incrível, uma constante referência e inspiração para minhas fotos (Se quiserem conhecer mais o trabalho dele segue o site http://www.albertolefevre.com.br/ ou https://www.albertolefevrefotografo.com/). E olhando uma de suas fotos (essa aqui abaixo) percebi que apesar de definitivamente se enquadrar na categoria "Boa fotografia" ela não correspondia exatamente à minha definição anterior, resolvi então repensar a minha afirmação.

 "Vento que Vem das Lonjuras" -  Alberto Lefèvre

"Vento que Vem das Lonjuras" -  Alberto Lefèvre

  Na última postagem eu afirmei que "Boas fotos são fotos do tempo" (ou algo parecido com isso) e mantenho essa afirmação, mas acrescento uma idéia a ela "Boas fotos são imagens do invisível".

  A própria palavra imagem já fala muito do que é ou não uma boa fotografia. Se pensarmos em sua origem a palavra tem tanto um caráter de reprodução quanto de imaginação, ou seja, a imagem em seu conceito mais amplo, nem sempre está relacionada a algo que enxergamos, mas está relacionada à nossa maneira de ver, perceber e assim, imaginar o mundo. Penso que as boas fotos falam com nossos sentidos, falam com nossa percepção do mundo, com nossas memórias, com nossos sentidos, nossas emoções. Algumas fotos nos fazem ouvir o som ou o silêncio de uma cena, alguns bons retratos permitem que o retratado, mesmo não estando lá nos transmita sua mensagem, sua dor, prazer, alegria, sua esperança ou a falta dela. Uma boa foto fala do momento e não da imagem. Uma boa foto nos instiga, nos provoca, nos deixa curiosos, desejosos por mais ou completamente satisfeitos. Podemos não prestar atenção a uma boa foto e ela pode passar por nós despercebida, mas sempre que for percebida (não somente enxergada) ela terá algo para contar.

  Volto portanto ao meu post "Fotografia não se ensina, se aprende." para dizer que você nunca fará uma boa fotografia racionalmente. Assim como outras formas do que chamamos de "arte", a expressão de uma fotografia não é racional (talvez por isso seja tão difícil defini-la). Uma boa foto surge quando aquele momento realmente se torna importante para você, quando naquele instante você se percebeu sentindo e se conectando com o que está a sua volta e por isso teve presença no que esta vendo, ouvindo, sentindo. Isso, não sei por qual motivo, transparece na imagem e permite que outros se imaginem naquele momento, ela te proporciona empatia.

 

"A fotografia ajuda as pessoas a ver."

Berenice Abbott