Fotografando a lua, o que está dando errado?

  Já ouvi muitos de meus amigos reclamando que toda vez que viam a lua cheia morriam de vontade de fotografá-la, mas sempre que faziam ela acabava aparecendo somente como um borrão de luz, muito diferente de tantas fotos maravilhosas que vemos  por aí.

  Sei que esse post está um pouco atrasado, afinal a SUPERLUA dos primeiros dias de 2018 já está quase indo embora. Mas como ela está de volta no dia 31 de Janeiro achei que valia a pena postar algumas dicas.

  Para não gerar expectativas exageradas, já aviso que depois desse post você não vai conseguir ganhar nenhum concurso de fotografia da lua, mas prometo que pelo menos ela deixará de ser só um ponto de luz sem graça nas suas fotos. Aviso também que para fazer uma foto razoável da lua, você vai precisar de uma câmera, infelizmente eu não conheço celulares que consigam fazer isso, e isso acontece por uma questão física, a lente. 

  Muita gente acha que para fazer uma foto da lua é obrigatório ter equipamentos complexos e caros mas isso não é inteiramente verdade. 

  Então, sem mais demora, o primeiro passo: esteja com uma câmera, pode ser uma compacta zoom ou uma de lente intercambiável. O importante é que a sua câmera/lente tenham um bom zoom óptico (zoom digital não serve!!!) ou que você tenha uma lente teleobjetiva (apesar de que acho que se você já tem uma lente dessas não vai precisar das dicas que dou aqui). Quanto maior o zoom (ou maior for a distância focal da sua lente) melhor! (Se quer comprar uma câmera mas está em dúvida de qual ou como, veja o post: Como escolher minha primeira câmera)

  O segundo passo é: não da para tirar uma foto da lua no modo automático da câmera. Mas por que? Porque por melhor que seja sua câmera, diferente do nosso olho, ela não é muito inteligente e como a lua só aparece à noite (pouca luz) a câmera vai tentar compensar a falta de luz aumentando a exposição, por isso sua lua vira aquele borrão brilhante. Então para começar a foto, ajuste sua câmera no modo manual. Para fazer a lua aparecer como um círculo o segredo é ir contra a recomendação de exposição da câmera. Ajuste a velocidade, a abertura da lente e o ISO até que o fotômetro indique um valor bem abaixo do que a câmera "manda", na linguagem fotográfica você terá que fazer uma subexposição da imagem. Vá fazendo fotos sequenciais e testando os ajustes até achar a foto em que a lua apareça do jeito que gostaria de ver. Pessoalmente eu costumo manter o ISO o mais baixo possível, a abertura da lente entre F8 e F11 (que é a melhor faixa de operação da maioria das lentes) e trabalhar a exposição alterando somente a velocidade. (ATENÇÃO: Se você não faz idéia do que significa o que eu falei nas ultimas frases, leia o próximo parágrafo. Se entendeu tudo, pode pular.)

 

 

  O conceito de exposição, de forma simplificada, é o ajuste da quantidade de luz que entra na câmera para que toda informação importante na cena seja "distinguível". Para ajustar a quantidade de luz que entra, temos 3 opções , entre eles o ajuste da velocidade, da abertura da lente e da sensibilidade à luz (ISO). Todas as câmeras que possuem o modo "manual" permitem o controle desses 3 parâmetros. O fotômetro, geralmente mostrado em uma linha com um símbolo de + do lado direito e - do lado esquerdo funciona como medidor da exposição/quantidade de luz. Se o indicador do fotômetro aparece no meio dessa barra a câmera entende que a luz é suficiente (ou a exposição está "correta") se o indicador se move para o - , falta luz e no caso contrario há luz demais. Para a foto da lua, é importante deslocar esse indicador para o lado do - , ou seja diminuir a quantidade de luz que entra na câmera, para que assim a lua se torne visível. À medida que você for ajustando a velocidade, a abertura e o ISO vai conseguir ver esse indicador se deslocando e então faça experiências até achar o resultado que você deseja.

 

 

  Terceiro passo: tente fotografar no horário entre o fim da tarde e o início da noite, nesse tempo ainda há um pouco de luz do sol refletida na atmosfera e a luz, quando falamos de fotografia, sempre facilita a vida. Além disso, se quiser compor a lua com o cenário, seja ele qual for, a luz natural vai ajudar bastante. Mas lembrem-se, isso não é uma regra, só uma maneira de facilitar suas primeiras tentativas.

  O quarto passo apesar de opcional, faz uma grande diferença, ele é a edição da foto, ou o que alguns chamam de pós produção. Para isso você pode usar softwares de computador como o Photoshop ou Lightroom mas também pode usar apps de celular como o Snapseed (gosto e uso muito). Lembrando que a lua é cheia de crateras, ela tem áreas de luz e de sombra, isso vai ser ressaltado se você aumentar (um pouco) o contraste e a estrutura da foto, dando destaque para as áreas iluminadas, escurecendo as áreas de sombra e valorizando as texturas. 

  Como tudo na fotografia, não existe um modelo pronto para uma boa foto, faça muitos testes, tanto para fazer a foto quanto para editar. Teste os ajustes de luz, teste a composição da cena, deixe outros elementos entrarem na foto (a lua no vazio muitas vezes não é tão legal) e com o tempo você vai achar o caminho e os ajustes que fazem mais sentido para você. 

  Por fim, depois de ver tantas fotos da SUPERLUA, aproveito para compartilhar a minha também. Espero que a foto traga alguma motivação para vocês que leram até aqui e conto um segredo: minha câmera/lente são as mesmas que maioria das lentes e câmeras de muita gente por aí. Se der certo me manda a foto? Se der errado me conta por que? Como sempre estou disponível para qualquer dúvida, crítica, comentário ou sugestão.

Obrigado!

 Foto tirada em Piumí - MG em 31/12/2017

Foto tirada em Piumí - MG em 31/12/2017

 

“A câmera fotográfica é um espelho dotado de memória, porém incapaz de pensar” 

 

Arnold Newmann